La vie en rose - Lingerie

quinta-feira, abril 26, 2012


Não é de hoje que a mulherada sofre para ‘’andar na moda’’. E quando digo sofrer, estou me referindo a sofrimento físico. Os problemas de saúde causados pelos Espartilhos eram diversos, pois, para garantir a sustentação, as peças eram feitas com hastes de prata, marfim, osso de animal ou até de madrepérola. Entre os vários colchetes e ilhoses, os espartilhos eram atados com tanta força, que as mulheres sofriam fisicamente. Problemas de distúrbios respiratórios, circulatórios e, claro, digestivos eram extremamente comuns. Essa peça tinha como objetivo afinar a cintura e manter o tronco ereto.

Dado a breve introdução, eis o verdadeiro intuito deste post:

Você conhece a história da Lingerie? Desde o dia que nascemos, até hoje, percebemos mudanças significativas nas roupas íntimas femininas, mas não nos surpreendemos. São mudanças sutis, e, portanto, aceitáveis. Mas e quando nos deparamos com as roupas íntimas das décadas passadas e comparamos com as atuais? Incomum é não se surpreender.

O Museu Histórico Abílio Barreto (MHAB) inaugurou no dia 8 de março, Dia Internacional da Mulher, a exposição “La vie en rose - Lingerie (Belo Horizonte, 1890/1990). Sedução e controle na intimidade feminina”. A mostra tinha como objetivo reunir lingeries usados na capital desde a Belle Époque até meados do século XX, e pelo o que tenho ouvido falar a respeito, realmente conseguiram atingir o objetivo traçado.


A exposição ficará em cartaz até 6 de maio, no foyer térreo do edifício-sede, e pode ser vista às terças, sextas, sábados e domingos, das 10h às 17h, quartas e quintas, das 10h às 21h. A entrada é gratuita.

A moda própria do Brasil ainda não havia nascido nesta época, e, portanto, éramos completamente europeus. Vale ressaltar que devemos muito a essas mulheres que, em seguida, revolucionaram a moda. Umas das pioneiras no quesito: sofrer para estar na moda, elas nos deixou uma grande herança.

Fica a dica para o final de semana. Você não vai gastar um centavo, e sairá mais rico culturalmente. Não é sempre que temos a oportunidade de enxergar o passado, bem diante de nossos olhos, não é?
Informações: (31) 3277-8573
Site: http://www.amigosdomhab.com.br
Endereço: Av. Prudente de Morais, 202, Cidade Jardim - Belo Horizonte/MG
Local: Museu Histórico Abílio Barreto

Leia também